Acompanhe online o evento final da Maratona Behind the Code 2020 Inscreva-se já!

O longo histórico e o forte compromisso da IBM com software livre é o segredo mais bem guardado no software livre. Embora comunidades de software livre apreciem há muito tempo o papel da IBM no movimento, até nossa aquisição recente da Red Hat, poucas pessoas fora dessas comunidades teriam associado a IBM ao software livre.

Porém, a verdade é que nós estamos envolvidos com software livre desde o início. Antes de muitas das empresas que você associa ao software livre terem até mesmo sido fundadas, nós estávamos apoiando comunidades emergentes, contribuindo com o desenvolvimento de licenças de software livre e defendendo o controle e os padrões abertos.

Então, como chegamos onde estamos? E o que nós prevemos como o futuro do software livre? Vamos explorar esses tópicos e mais.

Computador, teclado e impressora antigos da IBM

Antes de o software livre ser legal

A IBM foi uma das defensoras mais antigas do software livre, apoiando comunidades influentes como Linux, Apache e Eclipse, defendendo licenças abertas, controle aberto e padrões abertos.

Nossa primeira interação notável com software livre foi quando vários engenheiros da IBM começaram a contribuir com o Linux (sim, o Linux no qual o Red Hat Enterprise Linux foi desenvolvido). No final dos anos 90, a IBM apoiou a Linux com o compromisso de patentes, um investimento de $1 bilhão em recursos técnicos e em outros recursos, além de ajudar a estabelecer a Linux Foundation em 2000.

Em 1999, nós ajudamos a criar a Apache Software Foundation (ASF), contribuindo com milhares de linhas de códigos e recursos dedicados para suportar os projetos do Apache Web Server. Como um membro fundador, nós ajudamos a moldar a licença e o controle, atuamos em cargos de liderança e contribuímos com inúmeros projetos. Hoje, existem mais de 200 projetos no ASF e o escopo foi ampliado a partir do projeto de servidor HTTP original para incluir tecnologias da web, XML, serviços da web, processamento de documentos, mobilidade, nuvem, big data e análise, serverless e sistema de mensagens. Claramente, nós ajudamos a criar um local seguro para colaborar e inovar livremente.

Nós lideramos a criação da Eclipse Foundation em 2004. Nós iniciamos o projeto Eclipse com uma contribuição de código significativa, desenvolvedores dedicados e auxílio jurídico na elaboração das licenças. Agora, há mais de 360 projetos no Eclipse, abrangendo uma ampla gama de tecnologias. Nós creditamos o sucesso do Eclipse ao seu controle aberto, oferecendo aos desenvolvedores de software livre um local neutro para colaborar e inovar livremente.

Em seu início, a IBM reconheceu a promessa de software livre e contribuiu com milhares de linhas de códigos, horas de trabalho da equipe e dinheiro para assegurar que as bases fossem estabelecidas de uma maneira que suportasse o controle e os padrões abertos. Em larga escala, a participação da IBM nesse e em milhares de outros projetos e comunidades definiu como seria a adoção do software livre entre as empresas.

Contribuições de software livre ao longo do tempo

À medida que o sucesso da Linux Foundation, da Apache Foundation e da Eclipse Foundations aumentou, a IBM elevou e ampliou o escopo de seu envolvimento em software livre. Na última década, nós focamos no desenvolvimento dos projetos e comunidades de software livre mais recentes e no compartilhamento no trabalho sob o controle aberto.

A seguir há alguns destaques sobre nosso histórico em software livre, pois eles se relacionam às tecnologias que mais apreciamos.

Kernel do Linux

Após ajudar a estabelecer a Linux Foundation, a IBM continuou liderando a comunidade Linux, investindo centenas de recursos de engenharia ao longo dos anos no kernel do Linux e em muitos dos mais de 80 projetos colaborativos que existem atualmente na Linux Foundation. Em 2005, cofundamos a Open Invention Network, que protege projetos de software livre contra ataques por titulares de patentes. Ser capaz de desenvolver sem medo de repercussões legais ajudou a acelerar o desenvolvimento do Kernel do Linux.

A IBM sempre foi uma forte contribuidora técnica do Kernel do Linux, classificada entre os dez principais contribuidores corporativos e tendo administradores para uma ampla variedade de subsistemas de Kernel do Linux. Embora suas contribuições suportem nossas próprias ofertas, nós também contribuímos fortemente nas áreas de escalabilidade, robustez, segurança e em outras áreas que beneficiam o ecossistema Linux.

Visite o hub Linux no IBM Developer

Java

A IBM adotou o Java e foi sua contribuidora desde o início. Nós fomos fundamentais ao ajudar a moldar a linguagem e o tempo de execução Java e as especificações de J2EE juntamente com a Sun Microsystems. Ao longo dos anos, nós temos ajudado a conduzir o Java para o software livre, o que resultou no OpenJDK se tornando o primeiro software livre Java.

As contribuições mais recentes para a comunidade Java incluem:

  • nosso tempo de execução do Java, J9, uma Java Virtual Machine (JVM) de alto desempenho e área de cobertura de memória baixa otimizada para a nuvem, contribuiu com a Eclipse Foundation como a incubadora do Eclipse OpenJ9
  • nosso tempo de execução OpenLiberty para aplicativos Java EE e MicroProfile, contribuiu com o openliberty.io. Esse tempo de execução é a base para o WebSphere.

Nós continuamos ajudando a liderar e contribuir para estabelecer a Eclipse Foundation Specification Process que deve substituir o antigo Java Community Process (JCP) para o Jakarta EE.

Visite o hub Java no IBM Developer

Nuvem

A mudança para modelos de implementação baseados em nuvem na última década foi acelerada por inúmeros projetos de nuvem de software livre de alta prioridade. Algumas contribuições da IBM nessa área incluem nosso trabalho com o OpenStack, o Cloud Foundry e o OpenWhisk.

Cloud Foundry

Logo Cloud Foundry

O Cloud Foundry é uma plataforma de aplicativo de nuvem de software livre para desenvolvimento e implementação de aplicativos de nuvem corporativos. A IBM se envolveu no Cloud Foundry logo após sua liberação pelo VMware em 2010 e estimulou imediatamente um grupo de desenvolvedores a trabalhar nele.

Como nós fazemos em todos os projetos com os quais nos envolvemos ativamente, começamos a promover um modelo de controle aberto para o Cloud Foundry. Assim, enquanto os engenheiros da IBM contribuíam com a base de código do Cloud Foundry, nossa equipe de liderança trabalhava com outras empresas, inclusive a Pivotal e a SAP, para criar a Cloud Foundry Foundation em 2016.

OpenStack

O OpenStack é um projeto de infraestrutura como serviço de software livre implementado em nuvens públicas e privadas para provisionar servidores virtuais e outros recursos. A IBM se envolveu no OpenStack em 2012 com vários desenvolvedores de nossa equipe de Open Source Development trabalhando em vários projetos do OpenStack. Os engenheiros da IBM contribuíram com recursos orientados para casos de uso corporativos, com ênfase no gerenciamento de identidade, na segurança e na interoperabilidade.

OpenWhisk

Logo OpenWhisk

Após a IBM Research começar a trabalhar em uma plataforma serverless em 2015, nós rapidamente tomamos a decisão de adotar tecnologias de código aberto da plataforma sob controle aberto para que pudéssemos expandir uma comunidade vibrante e um ecossistema em torno dela.

Em fevereiro de 2016, nós disponibilizamos nossa implementação de plataforma sem servidor de software livre e demos a ela o nome de OpenWhisk. Conforme o interesse pelo OpenWhisk crescia, nós trabalhávamos com parceiros como Adobe e Red Hat para estabelecer o Apache OpenWhisk como um projeto incubador em novembro de 2016. Em julho de 2019, o Apache OpenWhisk deixou de ser um Projeto Incubador para se tornar um Projeto de Nível Superior na Apache Software Foundation.

Visite o hub Cloud no IBM Developer

Contêineres

Nuvem e contêineres andam lado a lado e os projetos de contêineres de software livre ajudaram a acelerar a adoção de contêineres em empresas.

Primeiro Docker e OCI . . .

Logo Docker

O Docker foi lançado em 2013 e os IBMistas rapidamente se tornaram contribuidores ativos no projeto. Como nós sempre fazemos quando participamos de um projeto, direcionamos o Docker ao controle aberto e, em 2015, nos tornamos um sponsor fundador da Open Container Initiative. O Docker contribuiu com o libcontainer e com a especificação do formato de imagem e transferência do Docker para fomentar a iniciativa recém-criada. A IBM tem sido um dos principais contribuidores no OCI desde sua formação e um de nossos principais engenheiros foi reconhecido por sua contribuição e liderança, sendo nomeado para o Conselho de Supervisão Técnica do OCI.

Em seguida, Kubernetes e CNCF . . .

Logo Kubernetes

Na mesma época em que o Docker estava avançando para o controle aberto, o projeto Kubernetes estava ganhando força na comunidade como um sistema de orquestração de contêiner de software livre. Em julho de 2015, logo após o lançamento da Open Containers Initiative, ajudamos a lançar o Cloud Native Computing Foundation para oferecer um modelo de controle aberto para o Kubernetes.

A organização CNCF (e o Kubernetes) prosperou, aumentando para mais de 20 projetos, inclusive Kubernetes, etcd, rkt, fluentd, containerd, Helm e mais. Nossos desenvolvedores atuam como committers e contribuidores em vários desses projetos.

Por fim, Istio

Logo projeto Istio

Nossa parceria com a Google no Docker, no Kubernetes e no CNCF deu muitos frutos com o projeto Istio. IBM e Google juntaram forças com a Lyft para colaborar em uma fusão do Amalgam8 da IBM, do Envoy da Lyft e do Service Control da Google. O resultado foi o projeto Istio, uma abstração de primeira qualidade para roteamento e gerenciamento de política para microsserviços nativos de nuvem. Nosso objetivo é eventualmente mover o Istio para CNCF para assegurar a governança aberta para esse importante projeto que está se tornando cada vez mais popular.

Esses são apenas alguns destaques de onde investimos nosso tempo, dinheiro e recursos para plataformas de contêiner de software livre. Estamos envolvidos como committers em outros projetos de contêiner, inclusive o projeto Knative que ativa recursos serverless no Kubernetes.

Visite o hub Containers no IBM Developer

Blockchain

Em 2015, a IBM reconheceu o incrível potencial da tecnologia blockchain, a mesma tecnologia básica do Bitcoin. Após algumas pesquisas, percebemos que nenhuma das plataformas de tecnologia blockchain existentes era realmente adequada para a empresa. Sendo assim, a IBM anunciou o desenvolvimento de uma nova plataforma blockchain com requisitos corporativos em mente, uma plataforma que pudesse ser usada em ambientes altamente regulados.

Nós reconhecemos que uma tecnologia tão importante não deve ser controlada por um único fornecedor, então trabalhamos com a Linux Foundation para ajudar a estabelecer o Hyperledger, o projeto com crescimento mais rápido na LF de todos os tempos. A IBM contribuiu com 44 mil linhas de código e estabeleceu o primeiro dos projetos Hyperledger, Hyperledger Fabric, sob governança aberta. Desde então, mais nove projetos foram incubados no Hyperledger.

O Hyperledger Fabric foi o primeiro a ser incubado, o primeiro a ser graduado para o status “Ativo” e o primeiro a atingir uma liberação 1.0.0, em junho de 2017. Existem aproximadamente 300 engenheiros representando 40 empresas que têm contribuído como essas liberações trimestrais do HyperLedger Fabric. Esta é uma evidência do valor do desenvolvimento de um software livre sob controle aberto.

Visite o hub Blockchain no IBM Developer

Aprendizado de máquina, deep learning e IA

A IBM tem criado plataformas de IA há anos e contribuído com vários projetos na comunidade de IA de software livre. Recentemente, aumentamos nosso foco interno na criação e na abertura de código para conjuntos de dados e projetos de ML e DL. Para dar suporte a esse foco, criamos o CODAIT (o Center for Open source, Data and AI Technology).

Recentemente, a IBM passou a adotar tecnologias de código aberto de algumas tecnologias chave para IA, inclusive:

Em 2018, nós lançamos o Model Asset Exchange (MAX),, um catálogo selecionado de software livre de modelos de deep learning pré-treinados e treináveis que desenvolvedores podem integrar em seus aplicativos por meio de contêineres do Docker ou Kubernetes autocontidos. Em seguida, em 2019, nós lançamos o Data Asset Exchange (DAX), um hub on-line para desenvolvedores e cientistas de dados localizarem com cuidado conjuntos de dados grátis e abertos administrados sob licenças de dados abertas.

Nosso foco agora é na criação de confiança para sistemas de IA e acreditamos que isso é feito melhor em um contexto de software livre, portanto, nos juntamos à IA da LF em 2019 para focar nossas energias em ajudar a criar confiança na IA.

Na maior comunidade de ML, a IBM está ativa nos projetos TensorFlow, Kubeflow, Project Jupyter, Apache Spark e PyTorch, atuando como committer e contribuidor. Nós somos parceiros da Open Neural Network eXchange (ONNX) para dar suporte a e desenvolver formatos abertos para ML e doamos o projeto Egeria para o consórcio ODPi em 2018 para definir APIs e descritores para compartilhamento de metadados sem impor uma única ferramenta ou repositório para gerenciar todos os metadados.

Cidade com redes interligadas

Visite o hub AI no IBM Developer

IoT

Em 2008, à medida que a Internet of Things ganhou força, o MQTT, um modelo de sistema de mensagens de publicação-assinatura desenvolvido por um IBMista, ganhou popularidade. O primeiro broker do MQTT foi de código aberto naquele ano e, 4 anos mais tarde, o projeto Eclipse Paho foi lançado para oferecer ao cliente MQTT de software livre bibliotecas para Java, C, JavaScript e Python.

No final de 2014, o MQTT Versão 3.1.1 se tornou um padrão OASIS, abrindo caminho em 2016 para o MQTT se tornar um padrão ISO. Em 2017, o MQTT se tornou o protocolo líder para conectar dispositivos IoT. Essa tecnologia continua crescendo sob a liderança da Eclipse Foundation. Saiba como o MQTT é o protocolo líder para conectar dispositivos IoT.

Visite o hub IoT no IBM Developer

Node.js e JavaScript

Os IBMistas estão envolvidos no projeto Node.js desde 2012, contribuindo com milhões de linhas de códigos, atuando em cargos de liderança na comunidade e evoluindo o projeto e a comunidade de maneira geral por meio de nosso envolvimento.

Em 2014, quando uma bifurcação no projeto Node.js ameaçou a sua viabilidade, a IBM trabalhou com ambas as facções para resolver a situação, colocando o desenvolvimento do Node.js sob controle aberto por meio da Node.js Foundation. Agora que as comunidades Node.js e JavaScript se reuniram sob a OpenJS Foundation, nossos desenvolvedores continuam atuando em posições de liderança no Comitê Gestor Técnico, como líderes de Grupos de Trabalho e como committers e contribuidores nos projetos. Saiba mais sobre IBM e Node.js: nosso passado, presente e futuro.

Outro projeto JavaScript notável da IBM é o Node-RED, um projeto que permite o desenvolvimento de aplicativo de código baixo. Nós abrimos o código do Node-RED em 2013 e, desde então, uma grande comunidade de usuários cresceu em torno dele, com mais de 1 milhão de downloads, 1.700 nós complementares de terceiros disponíveis e uma comunidade de contribuidores cada vez maior que ajuda a avançar o projeto. Em outubro de 2016, o Node-RED se tornou um dos projetos de base da JS Foundation. Em setembro de 2019, o Node-RED lançou sua liberação 1.0.

Saiba mais sobre o Node-RED e seu histórico em software livre.

Visite o hub Node.js no IBM Developer

Quantum

Embora a IBM tenha sido ativa na construção da tecnologia quantum durante anos, em 2016, decidimos adotar tecnologias de código aberto em nossos processadores quantum. Reconhecendo o poder da inovação conduzida pela comunidade, nós liberamos o Qiskit, uma estrutura de computação quântica de software livre que os desenvolvedores podem usar para aproveitar os sistemas IBM Q Experience para pesquisa, educação, negócios e até mesmo jogos.

À medida que a tecnologia quantum continua a evoluir, os projetos quantum de software livre e os desenvolvedores que contribuem com essas comunidades continuarão gerando valor ao moldar a tecnologia e seu uso.

Visite o hub Quantum no IBM Developer

Prevendo um futuro aberto para a empresa

Esperamos que você tenha percebido que nosso objetivo quando nos envolvemos em software livre é colocar um projeto sob controle aberto para que ele possa aproveitar rapidamente os benefícios de um ecossistema do desenvolvedor ativo e diverso.

Uma tendência que estamos vendo agora é que as próprias organizações estão adotando o software livre em suas operações como uma organização em desenvolvimento. Conforme as organizações mudam a maneira como elas desenvolvem códigos, introduzindo princípios e práticas de software livre no processo de desenvolvimento, a tecnologia que é criada melhora, e fica mais inovadora e segura.

Parte dessa abertura é a maneira como equipes em diferentes comunidades estão se juntando. Por exemplo, as comunidades Node.js e JavaScript recentemente juntaram suas bases para que pudessem criar projetos escaláveis e alinhados de forma mais precisa.

Nós estaremos no campo de batalha, dando exemplo na maneira como infundimos software livre em nossos próprios produtos e tecnologia, na maneira aberta como lideramos nossas equipes e interagimos de maneira transparente com nossos clientes. Estamos animados em fazer parte desse renascimento e em continuar promovendo essa tendência por meio de nossa liderança e de nosso compromisso com o controle e com os padrões abertos.


Aviso

O conteúdo aqui presente foi traduzido da página IBM Developer US. Caso haja qualquer divergência de texto e/ou versões, consulte o conteúdo original.